Operação Alcatraz da PF põe em xeque políticos, empresas e servidores estaduais

Operação Alcatraz da PF  põe em xeque políticos, empresas e servidores estaduais

Até duas residências do presidente da Assembléia Legislativa, deputado Júlio Garcia teve presença da Polícia Federal. Politicos de SC preocupados com alcance da operação. Políticos que indicaram servidores envolvidos estão apavorados.

 

Fraude em licitações e formação de quadrilha são alguns dos motivos da investigação da Policia Federal de Santa Catarina denominada '' Operação Alcatraz''. Operação que já investigava os envolvidos há mais de um ano, aconteceu nesta semana envolvendo os municipios de Florianópolis, São José,Antonio Carlos e Ituporanga. 

A juiza da Primeira Vara Federal de Florianópolis,  Janaína Cassol Machado, deu o despacho ordenando as prisões e as apreensões de documentos em empresas, servidores públicos e politico.

Onze envolvidos foram detidos pela Policia Federal.

Envolvidos na operação estão nomes como Danilo Pereira, Fabricio José Florêncio Margarido,Flávia Coelho Werlich, Mauricio Rosa Barbosa, Michele Oliveira da Silva Guerra, Ciro de Moraes Santos, Cristiane Rios dos Santos Castelo Branco Nappi, Daniel da Silva, Edson Nunes Devicenzi, Fábio Lunardi de Farias,  Jefferson Rodrigues Colombo,Lúcia de Fátima Garcia, Luiz Andrey Bordin, Luiz Carlos Pereira Maroso, Luiz Ermes Bordin, Pablo Benedet Garcia.

Ao todo foram feitos 42  mandados de busca e apreensão, em órgãos públicos, empresas e residências.

Contratos para burlar o erário público eram assinados com a conivência de servidores estaduais, supostamente em troca de vantagens pecúniárias, como a terceirização de servidores para o setor prisional e outros espaços na administração estadual.

Gigantes do setor como as empresas ORCALI e ONDREPSB estão no alvo da Operação Alcatraz.

Pregões presenciais e  e dispensa de licitação para beneficiar terceiros era uma prática contumaz denuncia a Policia Federal que tem em mãos o repasse das propinas através de extratos bancários. Registre-se que havia contratos fraudados nos anos de 2011 e 2012 com negociação de serviços de tecnologia. Portanto as fraudes em licitação já era uma pratica em determinados setores da administração estadual, como a Secretaria de Administração envolvida em várias fraudes, como por exemplo na Epagri/SC.

DEPUTADO JÚLIO GARCIA

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Júlio Garcia, lider do PSD de Santa Catarina teve duas de suas residências visitadas pela Policia Federal de onde foram levados documentos.

Júlio ficou de enviar uma nota  para a imprensa explicando o que estava acontecendo, já que havia declarado não entender o porquê do seu nome estar envolvido na operação da Polícia Federal.

Entretanto uma das envolvidas na operação e que foi afastada  do seu cargo hoje  na Prefeitura de Florianópolis é a irmã de Júlio Garcia, Lúcia Garcia que era interlocutora do ex-secretário adjunto da Administração Estadual, Nelson Castello Branco Nappi. Lúcia era secretária de Castello Branco.

A juíza citou Lúcia no processo como ''irmã do investigado Júlio Garcia.''

A '' Operação Alcatraz'' tem tudo para efetivamente abalar as estruturas da politica de Santa Catarina. Quem viver,verá.

 

 

 

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados

Olá, deixe seu comentário para Operação Alcatraz da PF põe em xeque políticos, empresas e servidores estaduais

Enviando Comentário Fechar :/